Uma Malla pelo mundo Interney.net/blogs/malla

quinta-feira, julho 13, 2006

Coloridos nudibrânquios

Estou selecionando fotos para um concurso de um calendário específico sobre nudibrânquios, meus animais prediletos de procurar e ver em qualquer mergulho que faço - de certa forma mais até que tubarões.

Nudibrânquios são moluscos conhecidos também como lesmas-do-mar. São invertebrados parecidos com vermes que apresentam suas brânquias (orgão de respiração na água) desnudadas, expostas ao ambiente marinho do lado de fora de seus corpos. Possuem rinóforos na cabeça, que são tentáculos sensoriais que os ajudam a detectar outros da espécie assim como moléculas de feromônio ou provável alimentação. Vivem em geral em recifes de corais, e são minúsculos, a maioria não mais que poucos centímetros. Lentos, nadam apenas quando necessário, preferindo locomover-se pelo substrato como um verminho. Reproduzem-se em um verdadeiro balé aquático, e os milhares de ovos postos formam uma massa única pra lá de artística em cima de um substrato, com formatos que vão de uma mola a uma rosa. Embora quando a gente fala "vermes" um certo asco natural venha à cabeça, uma vez que você vê o espectro de cores e estamparias que as diferentes espécies de nudibrânquios apresentam, você esquece qualquer nojo e se apaixona por eles.

Foi assim que aconteceu comigo. No jurássico da minha faculdade, aprendi praticamente nada sobre invertebrados marinhos - e os nudibrânquios passaram incógnitos por todo meu currículo. Como eu estudava longe do mar, não houve incentivo extra algum para que aprendêssemos sobre o animal. Até que mais de 10 anos depois eu decidi aprender a mergulhar, por pura diversão.

Já no primeiro mergulho depois do batismo avistei um "verme" verde muito estranho em cima de uma rocha: meu primeiro nudibrânquio! Não conseguia tirar os olhos dele, cheguei perto para admirar suas cores - era listrado de verde e preto - e me apaixonei imediatamente por aquele colorido exótico. O bicho era simplesmente maravilhoso e eu, uma adoradora de cores fortes, descobri que já tinha meu invertebrado favorito escolhido.

Quando cheguei em casa, empolgada com a visão colorida que tive no mergulho, fui procurar saber mais sobre os nudibrânquios. Classe, ordem, famílias, características comportamentais, tudo que era possível coletar num livro de zoologia. E a cada foto de espécie que aparecia no livro, mais eu caía de amores por aquelas fofuras. Desde então, muitos mergulhos depois, já avistei uma boa quantidade de espécies, e cada uma me convence mais de que o universo arco-irístico que os nudibrânquios apresentam está provavelmente dentre os mais vastos da vida natural. As cores refletem na maioria dos casos, a sua dieta: se comem esponja azul, empacotam o azul sob a pele. Existem espécies que se alimentam de algas coralinas, numa relação mutualística com as mesmas. Em geral, você encontrará o nudibrânquio na proximidade de sua comida, já que eles são extremamente específicos na escolha gastronômica. E se eles comem nematocistos de anêmonas com toxinas, por exemplo, empacotam essas toxinas sob a pele - ou seja, as cores vibrantes no final das contas indicam toxicidade elevada. Como eles não possuem concha ou casco para proteção como outros invertebrados têm, os nudibrânquios evoluíram ao longo do tempo essa forma de defesa: produção/metabolismo de toxinas que os tornam impalatáveis a maior parte dos predadores que tentam se alimentar deles.

Com tantas características fascinantes num bichinho tão pequeno, só espero imensamente que o aquecimento global não os extingue também, embora as perspectivas pro futuro não sejam das melhores já que o ambiente em que vivem (os recifes de corais) já estão bastante ameaçados.

Separei aqui para compartilhar com todos algumas das minhas espécies prediletas de nudibrânquios, que vi por essas andanças pelo mundo embaixo d'água - e que foram enviadas para o concurso para o qual estou inscrevendo as fotos. São ou não são uma verdadeira aquarela?

Chromodoris willani2 Nembrota cristata
À esquerda: Chromodoris willani; direita: Nembrota cristata.

Ovos de Hexabranchus sanguineus (dançarino espanhol) em formato de rosa2 Chromodoris sp.
Massa de ovos de nudibrânquio em uma rocha no Havaí: o formato de uma rosa vermelha é simplesmente meu favorito. Ao lado, 2 nudibrânquios de espécies diferentes, mas com padrões similares, diferentes apenas em suas cores.

Chromodoris magnificaBornella stellifer - Coreia do Sul
Esquerda: Chromodoris magnifica; direita: Bornella stellifer, cuja postura na folha de alga lembra um movimento sublime de dança moderna.

Chromodoris kunieiGymnodoris aurita
Esquerda: um dos meus prediletos, o Chromodoris kuniei. Ao lado: Gymnodoris aurita.

Chromodoris willaniJoruna funebris - nudibrânquio
Esquerda: Outro Chromodoris willani; direita: um dos mais engraçados, que eu chamo de nudibrânquio "oreo" (parece um monte de biscoito de chocolate em cima dele!): Joruna funebris.

Pleurobrânquio Berthelle martensiDetalhe da pele de um pleurobrânquio
Esses dois são pleurobrânquios (ordem Pleurobranchia), parentes próximos dos nudibrânquios. Apesar de não serem nudibrânquios, suas cores também são incríveis e estavam valendo para o concurso que estou enviando, então ficam aí pra vocês criticarem/apreciarem também... O primeiro é o Berthelle martensi, e ao lado, um detalhe da pele de um pleurobrânquio - repare nos dois rinóforos (na forma de antena de função sensorial para detectar elementos químicos, metabólitos, alimentos e feromônios na água do mar). O padrão abstrato me deixa estupefata toda vez que eu vejo. Vida realmente maravilhosa, já dizia Gould.

Será que conseguiremos pelo menos uma foto no calendário do concurso? Torço que sim!

Tudo de bom sempre.

Marcadores: , ,