Uma Malla pelo mundo Interney.net/blogs/malla

sábado, setembro 02, 2006

As viagens de cada um

Antes de mais nada, eu preciso agradecer imensamente a todos que responderam a Mallenquete abaixo. Adorei todas as respostas, e apreciei muito a disponibilidade de todos em compartilhar uma microscópica parte de seus sonhos aqui. Muito obrigada de coração.

Preciso também agradecer aos blogs Simples assim, É a mãe!, Tô me achando, Issanidades e o Bernabauer.com, por terem indicado meu bloguinho para o BlogDay de 2006. As frases e perspectivas que li descrevendo "uma Malla pelo mundo" me deixaram mais vermelha que hidrante - é, eu fico envergonhada com palavras bonitas a meu respeito. A Denise também escreveu algo que me deixou emocionada, e para ela e para os donos respectivos dos blogs acima (Ana Paula, Mamy, Camila, Issana e Bernardo) eu agradeço especialmente.

Mas vamos à Mallenquete. É claro que eu não vou analisar cientificamente o resultado geral (houve?), porque as respostas são altamente subjetivas, lotadas de variáveis impossíveis de serem determinadas, e não forneceriam consistência suficiente para uma boa análise estatística. Vou analisar maionesisticamente, que é assim que eu chamo quando eu quero comentar qualquer coisa sem me importar com a ciência envolvida muito menos com a formalidade.

Como não dá para quantificar nada das respostas, vou apenas citar os lugares que as pessoas escolheram de mais "imediato" para irem (os citados em primeiro lugar na caixa de comentários), que foram:

- Grécia (2 votos)
- Sidney (2 votos)
- Indonésia
- Machu Pichu
- Itacaré
- Baía de Maraú
- Palau (me surpreendi com o aparecimento deste paraíso na lista!)
- Butão
- Barcelona (Gaudí é imbatível...)
- Tóquio
- Tailândia
- Paris
- Alasca (ah! A aurora boreal!...)
- Hong Kong
- China
- Hawai'i
- Paraty (é com "i" ou "y"?)
- Islândia (essa viagem eu topo sem pestanejar, Flávio!)
- O mundo todo (2 votos)
- Namíbia (meu voto, só para constar)

Para mim, é fascinante ler tamanha diversidade de escolhas: tem de praia a geleira, de vulcão a metrópole, passando por todas as nuances. Eu confesso que esperava que a maioria dos votos refletissem a preferência humana chavão por praias (eu inclusa, sou uma "islomanic"), mas apareceu tanto lugar exótico ou não-tradicional (e o que vem a ser não-tradicional a não ser o que os nossos olhos não estão acostumados e o de outros está...), que tudo que eu posso dizer é que as pessoas que passam por aqui realmente têm espírito de viajante de verdade: o negócio é conhecer o desconhecido, trilhar novos horizontes, sem menosprezar os lugares clássicos, que são clássicos por um motivo plausível - são os sonhos de uma maior quantidade de pessoas.

Eu sempre digo que a melhor viagem é a próxima, a que você ainda não fez, porque é nela que estão se construindo os próximos sonhos. Costumo escrever em papeizinhos que ficam espalhados pela casa dicas, idéias de lugares, contatos, atrações imperdíveis. Mas principalmente, sinto que ao colocar no papel, o sonho está mais perto, é mais "concreto". Sei que não é, mas sinto como se fosse: o papel serve como a afirmação psíquica de que eu posso um dia chegar lá, basta querer. Aí eu abro o atlas de novo e sonho, muito. Com cada recanto, com cada paisagem, com cada esquina. Viajar é mesmo uma realidade de sonho.

Tudo de bom sempre a todos os sonhadores de viagens sem fim. Da Islândia ao Taiti, e onde mais couber na mochila da vida.

Marcadores: , ,