Uma Malla pelo mundo Interney.net/blogs/malla

domingo, novembro 19, 2006

Pequenas anotações de viagens virtuais 15

1) Era uma vez um conceito único de lua-de-mel. Depois da cerimônia de casamento, a felicidade a dois do novo casal. Hoje, o conceito se expandiu e há diversas "de-mel": bebê-de-mel, família-de-mel, divórcio-de-mel... é como o artigo fala: realmente um mundo bizarro-de-mel! (Via Travel plan idea blog>)

2) Momento Organizações Tabajara: Se você não praticava snorkeling porque tem asma... seus problemas acabaram! Com o novo Asthma Freedom Snorkel, qualquer asmático pode agora apreciar o mundo subaquático. A soada tabajarística foi demais pros meus olhos leitores. (Via Divester, onde mais...)

3) Um dos meus jornais prediletos online agora lançou um canal em inglês! Vai ser ótimo ouvir os dois lados da moeda, agora a um simples aperto de botão no controle remoto. Longa vida e boas reportagens à nascente Al-Jazeera Channel em inglês! (Via o blog mais desfocado da net, o Blog do Adeodato!)

4) Só existem talvez 30 leopardos-do-leste vivos no mundo. Considerado o felino mais raro do mundo, um deles foi capturado na Rússia recentemente, por biólogos, e soltos depois de coletar amostras fundamentais para um projeto de conservação. Mas a pergunta mais instigante biologicamente para mim é: consideramos o leopardo-do-leste extinto ou não, com essa população ínfima? Qual o número "n" de indivíduos mínimo para a espécie ser considerada extinta? (Comentei isso por coincidência, semana passada, sobre a situação precária da arara-azul e do muriqui, com um amigo de velhos tempos que hoje trabalha no Conservation International do Brasil. Sem conclusões animadoras.)

5) Há muito tempo eu já havia me deparado com uma visão para lá de diferente do mundo, num shopping em Seul (assim que eu encontrar a foto na atual bagunça que anda meu computador, coloco aqui UPDATE: foto colocada!). Aí encontrei uma perspectiva diferente, fadada à reflexão mais intensa e séria, do nosso mundinho querido. Ou melhor, perspectivas. Lá no Bica. Corre lá e vê, vale a pena.

Mundo de cabeça pra baixo
O mundo de cabeça pra baixo. Esse mapa-múndi às avessas fica na saída da estação de metrô Samseong (COEX Mall), em Seul. Sempre achei extremamente filosófico, e todas as vezes que passei por lá, admirei a sensação de inadequação que o mapa causava. Além de centrado no Pacífico, o mapa meio que "perde as referências" ao ser virado. Afinal, o centro do mundo passam a ser as ilhas do Pacífico e o sudeste asiático, que normalmente nem percebemos existir ao abrir um atlas. Para refletir...

6) ...E houve um tempo mais longínquo ainda em que existiam os "reinos" mineral, vegetal e animal. Depois veio a distinção da vida em 5 reinos, como aprendi na universidade: Monera (bactérias e arqueobactérias), Protistas (protozoários), Fungi (fungos), Animalia (bichos) e Plantae (vegetais). Aí chegou a análise de DNA para organizar a bagunça taxonômica e mostrar o quanto somos relacionados, inaugurando o conceito de 3 domínios (não mais "reinos"): bactérias, arqueobactérias e eucariotos. Mas eis que surge um blogueiro e cientista que pretende mostrar por quê há sérios buracos nessa convenção tão sedimentada hoje em dia. Ciência é dinamismo de pensamento, e aguardo imensamente ler esses argumentos-posts que refutam o que está aí. Que venham as discussões! (Via Evolgen.)

7) Revolta nas ruas. Pessoas iradas contra o governo, quebrando janelas, incendiando escritórios, destruindo carros. Poderia ser em Gaza, no Iraque ou no Rio, mas é no "pacato" reino de Tonga. É, nem só de praias paradisíacas vivem os ilhéus do Pacífico...

8) Já é um começo. Um bom começo, dadas as proporções da poluição que já há por aquelas bandas. Uma cidade na China está trocando de graça as pilhas velhas por novas, na tentativa de diminuir a quantidade desse lixo que vai parar no mar. Que o exemplo se espalhe!

9) Se até a lenda-viva Elizabeth Taylor teve ânimo para entrar numa gaiola com tubarões (e adorou!), por que as pessoas ainda se amedrontam tanto com eles? Por que os desrespeitam tanto em seu próprio hábitat?

10) E falando nisso... é assim que baleias jubarte deveriam morrer: nas mãos da lei natural de sobrevivência do mais apto. Não dessa forma desnecessária, nas mãos da lei da voracidade asiática pela manutenção à força de um hábito fadado à extinção brutal.

11) Culinária sem mamão. É assim, em geral, na Ásia - ou pelo menos, na Coréia do Sul, onde até pouco tempo eu habitava. Parece que não mais será assim. Sorte dos meus amigos de Seul, né, Marisa? ;)

12) All the best wishes to one of my favourite bloggers in the world, a nice "birddy" grrl. Hope I could help somehow. Positive vibrations to you.

Marcadores: