Uma Malla pelo mundo Interney.net/blogs/malla

sexta-feira, junho 08, 2007

Viajando...

Hoje encaro uma viagem/jornada longa que sempre sonhei fazer - finalmente chegou o momento. Pretendo conhecer e aprender um pouco mais sobre 2 ecossistemas incríveis e únicos, e de tabela conhecer 2 blogueiras-amigas ótimas na primeira etapa da viagem (1 delas eu já conheço, mas revê-la para longos papos e passeios de campo será mais legal ainda). (A segunda etapa é ainda uma caixinha de surpresas...) Entretanto, o efeito colateral disso é que provavelmente demorarei mais a postar. Estarei desconectada. Haverá esforços nos pequenos momentos em cybercafés da vida, até o início de julho, mas nada muito "contínuo" porque quero me dar férias da tela do computador um pouco.

Maaas... há boas surpresas em vista. Aguardem cenas dos próximos capítulos.

Tudo de bom sempre.

Marcadores:

quinta-feira, junho 07, 2007

Dia Mundial dos Oceanos

Mar©

Amanhã, 08 de junho, é o Dia Mundial dos Oceanos, uma idéia introduzida durante a Eco-92 no Rio de Janeiro. Por coincidência excelente, na mesma semana do Meio Ambiente, o que aumenta a razão para refletirmos e discutirmos as prezepadas que andamos fazendo com os mares do planeta. A data foi criada para celebrar nossos oceanos e conectar as pessoas ao gigantesco ambiente marinho, riquíssimo em biodiversidade e, infelizmente nas últimas décadas, tão maltratado.

A idéia de "conectar as pessoas ao mar" é talvez a mais interessante em minha opinião. Porque muitas acham que, por não morarem próximas ao mar, estão isentas dos problemas a ele relacionados - ou seja, entendem que conexão é apenas a proximidade geográfica. Pois não é. Se vivêssemos em uma sociedade mais consciente, talvez os problemas de alto-mar não chegassem na mesa do jantar de cada um, mas infelizmente, na atual conjuntura, nossos maus hábitos ambientais terminam praticamente todos afetando os mares de alguma forma. Seja na forma de geração de lixo e resíduos que terminam no final das contas poluindo o mar, na forma de peixes ameaçados de extinção que ainda são consumidos como "se nada estivesse acontecendo", ou na forma de consumo de energia exagerado, que leva ao aquecimento global (que derreterá os pólos, elevando o nível dos mares, etc.). Não tem como fugir da responsabilidade: somos todos iguais perante o mar.

Nesse ínterim, proponho aqui para o dia Mundial dos Oceanos um exercício "terapêutico" reflexivo de responsabilização. Encare de frente as espécies da biodiversidade marinha que tendem a desaparecer do planeta caso o ritmo de destruição e poluição dos mares continuar o mesmo do atual. Olhe nos olhos de cada um, ouça o grito desses animais marinhos pela própria sobrevivência, que atualmente depende em grande escala das atitudes humanas. Sejamos maduros o suficiente para encará-los de frente e declararmo-nos responsáveis pelo futuro ambiental deles como espécie.

Diversidade marinha©

Assumir a responsabilidade por um problema é o primeiro passo para sua possível solução. Quem sabe assim, assumindo a responsabilidade de verdade sem subterfúgios e/ou desculpas esfarrapadas, a gente possa deixar o discurso de lado e efetivamente fazer algo pelos habitantes desse mundo oceânico - que é maravilhoso e merece ser muito bem-cuidado. Abrace políticas mais eficientes na proteção dos mares, colabore com organizações idôneas que se preocupam com a defesa dos oceanos. Principalmente, seja um consumidor mais consciente! Os seus filhos, netos e demais gerações que virão agradecem pelo futuro melhor que pode vir dessa tomada de atitude.

Tudo de melhor sempre aos mares do planeta e a todos os seres que fazem deles a sua casa.

Marcadores: , ,

quarta-feira, junho 06, 2007

Universidades na Roda

Nesse mês de junho, o blog Roda de Ciência escolheu o tema "O problema das Universidades Brasileiras", depois da deflagrada greve nas estaduais paulistas - o Idelber escreveu muito bem sobre isso recentemente. O blog/tema está aberto a quem quiser participar, com posts, comentários e intervenções.

Se você tem um post que discuta o assunto e quer publicar por lá, escreva para a Maria:

mariamsguimaraes ARROBA yahoo PONTO com PONTO br

Infelizmente, por motivos de força maior (viagem, é claro), esse mês eu estou afastada da Roda de Ciência e não poderei discutir o tema - que é tão interessante. Mas deixo a valiosa dica, e tentarei, se possível, escrever algo em julho, mesmo atrasadamente.

Tudo de bom sempre.

Marcadores:

terça-feira, junho 05, 2007

Por um planeta energeticamente limpo

No mundo todo hoje celebra-se o dia do Meio Ambiente. A data convida à reflexão sobre o nosso entorno, principalmente em tempos de discussões e mais discussões sobre aquecimento global, em tempos onde os grandes poluidores parecem fazer questão de ignorar que estão comprometendo o futuro do planeta.

US power plant

Essa foto foi tirada em Huntington Beach, na Califórnia, EUA. É uma praia famosa pelo surfe, pelas modas e pelos casarões - um lugar chique, basicamente. E eu estava louca para conhecer essa praia tão mitificada. Mal sabia eu da decepção que teria.

Na beira-mar, a primeira estrutura que chama a atenção é essa enorme usina termelétrica (a da foto, movida a gás natural), que obviamente é apenas uma das inúmeras que existem no país. Um exemplo claro de por quê os EUA encabeçam a lista dos mais poluidores do mundo: o país é movido a termelétricas, usinas que produzem energia a partir da queima/combustão de combustíveis fósseis (em geral, carvão, mas pode também ser petróleo ou gás natural), um processo que libera ao final índices alarmantes de CO2 - que obviamente terminam na atmosfera. Infelizmente, ainda é a forma mais eficiente e barata de se produzir energia. Economicamente falando, o "custo-benefício" ainda é o mais vantajoso: custa 1,300 dólares por kilowatt para construir uma usina termelétrica. E num país tão ávido por eletricidade, infelizmente esse efeito direto no bolso ajuda a manter essa escolha malfadada.

Entretanto, sabemos que o preço ambiental das termelétricas é altíssimo. E há um problema ainda pior: ao gerar energia "barata" termelétrica para uma sociedade localmente, gera-se também um prejuízo - que é pago, entretanto, pelo planeta inteiro. Porque as correntes de ar, meus caros, não se subjugam à lei humana das fronteiras. São as termelétricas movidas a combustíveis fósseis as grandes vilãs, junto com as queimadas das florestas tropicais pelo mundo e com o uso abusivo de carros e outros meios de transporte ineficientes, que contribuem para o problema do aquecimento global.

Mas há alternativas. Já existem pesquisas tentando desenvolver fontes de energia mais limpas, principalmente do biodiesel; mas esbarram sempre no mesmo problema: a eficiência energética. Se por um lado são fontes menos poluidoras, por outro, podem gerar lixo exagerado durante o processo de produção do combustível (caso da cana-de-açúcar) ou não produzirem a quantidade suficiente de energia que as torne "economicamente atraentes" (caso das usinas eólicas). Há de se buscar essa balança melindrosa entre o bolso e o ambiente para que a popularidade de uma energia limpa seja alcançada. E para que o planeta enfim possa respirar aliviado.

Tudo de bom sempre ao ambiente por inteiro - e com energia limpa, sonho que há de vir um dia.


P.S.: Não são os EUA um país dicotômico? No mesmo estado em que Huntington Beach e sua termelétrica reinam, há essa interessante tentativa de escolha energética mais limpa para o ambiente. Será que isso é uma tendência? Tomara que sim.

**********************

Blogagem coletiva 05-06

Este post faz parte da blogagem coletiva organizada pelo Lino, um vila-velhense como eu, para celebrar e refletir sobre o dia do Meio Ambiente. A ação está se concentrando no blog dele, portanto, não deixe de visitá-lo - e acessar os posts dos outros blogs participantes.

Marcadores: ,

domingo, junho 03, 2007

Semana do Meio Ambiente 2007

Hoje começa a Semana do Meio Ambiente de 2007, o Ano Internacional dos Polos.

O dia do Meio Ambiente é nesta terça-feira, 05 de junho, uma data escolhida em 1972 pela Organização das Nações Unidas para celebrar o ambiente e trazer à sociedade uma reflexão sobre os problemas que afetam ecologicamente o planeta. A cada ano, uma cidade é escolhida para ser a hospedeira de festejos especiais promovidos pela UNEP, o órgão da ONU que trata das questões ambientais. Neste ano de 2007, a cidade de Tromsø, na Noruega, foi a escolhida, por sua proximidade com o Círculo Polar Ártico. E são sobre os continentes gelados que a ONU quer que as pessoas reflitam nessa data.

Nesse ano, o tema da Semana do Meio Ambiente é "Melting Ice - a Hot Topic?", ou traduzindo, "Gelo derretendo - um assunto quente?" Vivemos na era do aquecimento global, e esse é o hot topic do dia. Conscientizar sobre esse problema geral do nosso planetinha azul é uma tarefa de todos, e nada melhor que uma data definida para que pairemos e analisemos o grande cenário. O fato do tema ser uma pergunta - e não uma frase afirmativa, como na maioria dos anos anteriores - traz embutida, a meu ver, a necessidade de questionamento constante sobre como estão vivendo as populações humanas e ecossistemas de áreas próximas aos polos, que vêm assistindo o derretimento de seus arredores em índices alarmantes.

Refletir sobre as mudanças climáticas principalmente nas geleiras do Ártico e do Antártico pode parecer uma idéia distante da realidade nossa de cada dia, mas precisamos lembrar que as consequências desse problema localizado são GLOBAIS. Pode não haver efeitos imediatos aqui, mas a longo-prazo, não sabemos como um mundo com menor massa de gelo pode funcionar - e principalmente, se a espécie humana consegue se adaptar às mudanças. Provavelmente desastrosas. Haverá tempo para surgimento de novas tecnologias que consigam amenizar nossa estadia no planeta depois de tanta escolhas mal-feitas por séculos e séculos? Precisamos também lembrar que são muitos dos nossos confortos e (maus) hábitos ambientais do dia-a-dia que vêm contribuindo para o aquecimento do planeta - ou seja, já contribuímos de forma indireta para o afundamento completo de um ecossistema rico e para a geração de refugiados ambientais - que um dia, podem ser nós mesmos. Um evento em cadeia de complicações climáticas cujas consequências começam com os habitantes de Tromsø e podem terminar na sua casa, se não houver mudança de atitude.

É isso que queremos, um mundo hostil à presença humana? O que podemos fazer para evitar esse cenário globalmente? Pense nisso na próxima terça, 5 de junho de 2007. A data convida.

Que tudo no futuro seja melhor aos polos do mundo - e às vidas envolvidas no processo.

(Postado também no Faça a sua parte.)

Marcadores: , , ,

sexta-feira, junho 01, 2007

Surpresa do dia

O cefalópode da sexta-feira: vai ver qual é... e de quem é. ;)

Marcadores: ,